fbpx

Escola dos Games

O maior portal de e-sports do Brasil

Faker: “A vida de um jogador de League of Legends é como uma montanha-russa”

Muito já foi escrito sobre o início de Faker como o melhor jogador de League of Legends de todos os tempos. Sabemos como sua avó o animou quando ele praticava a luz da manhã, bem como o momento em que ele alcançava o topo da soloQ coreana, sendo contratado pela SKT apenas como um adolescente. Para Faker, essa foi a parte mais fácil.

“Não fiz muito esforço no League of Legends”, disse ele. “Mas eu consegui a primeira colocação. Suponho que sou adequado para ser um jogador profissional. Eu não fico bravo facilmente. Todo mundo me pergunta: ‘Como você administra sua mente? Eu disse: ‘Eu nasci assim’. Em um recente teste de personalidade, eles disseram que eu sou um robô ”.

Mas ele entende que nem todo mundo é assim. Ele concorda que o jogo pode ser um vício. Sua solução é que pais e filhos falem honestamente sobre por que as crianças gostam de brincar, e entender como jogos podem ser ferramentas valiosas para brincar e aprender. Mas ele admite que teve “sorte” com o quão longe seu próprio talento em jogos o levou.

A ascensão de Faker ao topo do cenário de League of Legends foi meteórica – ele venceu o Mundial no seu primeiro ano com a SKT. Mas sua carreira como jogador profissional definitivamente o testou. Nas entrevistas, você pode sentir a pressão que ele sente e como isso pesa sobre ele. Nos últimos anos, os campeonatos não foram tão fáceis e mais pessoas começaram a criticar suas jogadas.

Além disso, os jogadores profissionais não têm tanto tempo de folga, apenas 30 dias por ano, de acordo com Faker. Não existem noites e fins de semana para profissionais da LCK. “Não é uma questão simples” ser um jogador profissional, diz Faker. Ele disse que, se seus filhos não tiverem o temperamento certo para a vida nos jogos, ele os incentivará a fazer outra coisa.

O segredo Coreano

É esse temperamento que Faker acredita que historicamente diferencia os atletas de esports coreanos. A Coréia já venceu o Mundial cinco vezes seguidas e é a região com maior quantidade de títulos mundiais.

Mas ele também reconhece que coisas como internet rápida e um pool competitivo de jogadores que ajudaram a Coréia no passado não são mais um vantagem agora. Todo mundo tem gamehouses e as equipes são melhores em explorar jogadores coreanos do que costumavam ser.

“Viver como jogador profissional é como uma montanha-russa”, disse Faker. “Acho que sou definitivamente pior do que minha melhor temporada. Farei o meu melhor e melhorarei. ”

Faker pode não ser mais o jogador mais talentoso do mundo. Mas ele ainda é visto no mundo inteiro como um ícone, um modelo para o que um jogador profissional deve ser. E ele leva isso a sério – ele entende que é julgado por mais do que pela qualidade de sua jogabilidade e pela velocidade de sua mecânica.

“Muitos fãs me amaram como essa imagem do Faker”, disse ele. “Muitos jovens olham para mim, então eu tenho que parecer gentil e bem-educado. Se eu fizer alguma coisa ruim, eles serão influenciados. E tenho algumas regras para mim que são: ‘Seja modesto, seja honesto, seja gentil e não jure’. ”

Caso você queira aprender a subir de elo mais rápido no League of Legends com mais de 12 pro-players e através de mais de 150 vídeos a Prota Games é o seu lugar.

Acesse agora com uma semana grátis

Créditos:  DOT ESPORTS

Compartilhe em suas redes socais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares